Os 13 Porquês – Jay Asher

Os 13 Porquês – Jay Asher

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker – uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Montanha – Cyro dos Anjos

Montanha – Cyro dos Anjos

Politicagem, lobby, chantagem, repressão policial e iminência de golpe militar – esses são alguns dos infelizes elementos presentes na escalada do poder que Cyro dos Anjos retrata em Montanha, romance originalmente publicado em 1956 e que a Biblioteca Azul agora devolve às prateleiras em nova edição, organizada por Wander Melo Miranda. Ocultando personalidades reais do cenário político e social brasileiro sob nomes fictícios, o autor dos já clássicos O amanuense Belmiro e Abdias narra a trajetória de Pedro Gabriel, político que, à sombra do fim do Estado Novo, almeja ascender ao governo da fictícia Montanha. Ronda, no entanto, a ameaça de um novo golpe militar, que pode colocar a perder todos os avanços obtidos na administração do Brasil, que aparece, aqui, com suas divisões administrativas, sua história e sua geografia embaralhadas.A partir do incrível domínio narrativo de Cyro dos Anjos, ficamos conhecendo, de várias perspectivas e sem apelo ao panfletarismo, o que se passa na mente de todos os participantes desse intransigente jogo político: colegas parlamentares, inimigos de púlpito, jornalistas, militares, parentes, esposas, amantes e até mesmo o mais simples dos eleitores de Pedro Gabriel.Tido como “total novidade em nossas letras” por Carlos Drummond de Andrade devido à maestria literária e ao acurado retrato psicológico dos atores políticos da realidade brasileira de então, Montanha surge-nos novamente não apenas como quebra-cabeça do quadro político nacional pós-Getúlio Vargas, mas também como um imensurável e mordaz exame psicológico do cidadão democrático – especialmente das personagens femininas, como Ana Maria, Emília e Cláudia, aprisionadas entre um já obsoleto senso de dever familiar e a possibilidade de emancipação com a chegada de tempos mais livres.O autor Cyro Versiani dos Anjos nasceu em Montes Claros (MG), em1906. Graduado em direito, trabalha como funcionário público e também nos jornais Diário da Tarde, Diário do Comércio, Diário da Manhã, Diário de Minas, A Tribuna e Estado de Minas. Em 1933, publica em A Tribuna uma série de crônicas que originariam seu romance mais famoso, O amanuense Belmiro (1937). Em Portugal, publica o ensaio A criação literária (1954). Entre os vários prêmios literários, destacam-se os da Academia Brasileira de Letras, por Abdias (1945); do Pen-Club do Brasil e da Câmara Brasileira do Livro, por Explorações no tempo (1963; revisto, passa a integrar A menina do sobrado, com o título “Santana do Rio Verde”) e por A menina do sobrado (1979). Publica ainda o romance Montanha (1956) e os Poemas coronários (1964). Eleito em 1969 para a ABL, falece no Rio em 1994.

O Pecado de Porto Negro – Norberto Morais

O Pecado de Porto Negro – Norberto Morais

Um romance secreto e proibido que mudará para sempre a vida dos seus protagonistas
Em Porto Negro, capital da ilha de São Cristóvão, toda a gente conhece Santiago Cardamomo, o bom malandro que trabalha na estiva, tem meio mundo de amigos e adora mulheres, de preferência feias, raramente passando uma noite sozinho. O seu sucesso junto do sexo oposto enche, aliás, de inveja aqueles a quem a sorte nunca bateu à porta, sobretudo o enfezado Rolindo Face, que há muito alimenta esperanças no amor de Ducélia Trajero a filha que o patrão açougueiro guarda como um tesouro. Mas eis que, no dia em que ensaiava pedir a sua mão, assiste sem querer a um pecado impossível de perdoar que acabará por alterar a vida de um sem-número de porto-negrinos, entre os quais a da própria mãe; a de um foragido da justiça que vive um amor escondido para se esquecer do passado; a de Cuménia Salles, a dona do Chalé lAmour, a mais afamada casa de meninas da cidade; ou a de Chalila Boé, um mulato adamado que, nas desertas horas da madrugada, se perde pelo porto à procura do amor.O Pecado De Porto Negro, obra finalista do Prémio LeYa, é um mosaico de histórias que se vão encadeando para construir um romance admirável sobre o carácter circular do destino e a capacidade que o passado tem de nos vir bater à porta quando menos esperamos.Norberto Morais é conterrâneo de Hermann Hesse, tendo nascido numa pequena cidade da Floresta Negra, Calw, em 1975. Aos seis anos, foi viver para Marinhais, em Portugal, onde traçou as primeiras linhas sem jamais considerar a palavra «escritor» e donde saiu em 1996 para ir estudar Psicologia em Lisboa. Licenciou-se no ISPA, foi voluntário na Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, frequentou o Hot Club e teve uma banda, na qual era vocalista, letrista e compositor. Em 2002, quando tudo estava preparado para que fosse músico ou psicólogo, sentou-se um dia à secretária e a vida trocou-lhe as voltas. Uns meses mais tarde compreendia que, mal ou bem, estava condenado a escrever para o resto da vida.

Abdias – Cyro dos Anjos

Abdias – Cyro dos Anjos

Cyro dos Anjos é um autor que se pode chamar de “sóbrio”. Sóbrio no estilo literário, sóbrio na quantidade de títulos, sóbrio na personalidade. O mesmo, porém, não se pode dizer do personagem-título de seu segundo romance, Abdias, que a Globo ora relança como parte das “Obras Reunidas”, com coordenação, plano de edição e fixação do texto por Wander Melo Miranda – além de posfácio de Reinaldo Marques.
Estréias literárias costumam passar despercebidas, tornando-se relevantes retrospectivamente, quando o nome do autor se firma. Se, porém, a estréia é estrepitosa, dá-se o oposto: o resto da obra será observado prospectivamente a partir da estréia, cujo desempenho deve superar. A expectativa, no entanto, tende a viciar a recepção. Caso clássico é o da obra de Cyro dos Anjos e seu primeiro livro, o famoso O amanuense Belmiro, que de início comprometeria a leitura justa de Abdias. Justa no sentido de dever ser, ou não, sustentada pelo próprio romance, em vez de por comparações expectantes.
Todo estilo é feito de opções. Em Cyro dos Anjos, seus dois romances principais optam pela mesma técnica narrativa, da imitação de um diário. Mesma opção de Machado de Assis em seu último livro, Memorial de Aires, distinto de Esaú e Jacó, o penúltimo. Este, porém, não difere muito da técnica romanesca de Dom Casmurro… Usando, então, a classificação de Ezra Pound, que divide os criadores em inventores, mestres e diluidores, Machado foi, ao mesmo tempo, inventor e mestre, enquanto Cyro dos Anjos, se não foi um inventor, é um mestre consumado das técnicas de que se utiliza. Abdias o exemplifica à perfeição.

A vida peculiar de um carteiro solitário – Denis Thériault

A vida peculiar de um carteiro solitário – Denis Thériault

CARTAS, POESIA E UM AMOR INESQUECÍVEL.
Bilodo vive a tranquila vida de um carteiro sem muitos amigos nem grandes emoções. Completa diariamente seu percurso de entrega e retorna sempre à solidão de seu pequeno apartamento em Montreal. Mas ele encontrou uma excêntrica maneira de fugir dessa rotina: aprendeu a abrir as correspondências alheias sem deixar rastros e passou a ler as cartas pessoais com as quais se depara.
E foi assim que ele descobriu o primeiro grande amor de sua vida: a jovem professora Ségolène, que mantém uma misteriosa correspondência com o poeta Gaston, composta somente por haicais. Instigado pela elegância e simplicidade de seus versos, Bilodo se vê cada vez mais fascinado por essa forma de poesia.
Mas quando é confrontado com a perspectiva de se ver privado das cartas de Ségolène, ele precisa tomar uma decisão que pode levá-lo mais longe do que podia imaginar. Talvez seja hora de compor seus próprios poemas de amor.

Cantos profanos – Evando Nascimento

Cantos profanos – Evando Nascimento

Desde que estreou na ficção, em 2008, Evando Nascimento tem se destacado por duas características raras na produção literária brasileira. Uma delas é o estilo narrativo original, que explora a exuberância da linguagem sem perder de vista o rigor e a concisão. E a outra é a força inventiva com a qual transforma a algaravia e as contradições do cotidiano em matéria-prima para histórias surpreendentes. Em Cantos profanos, seu terceiro livro ficcional, essas características aparecem em contos breves, fragmentos, microensaios, imagens. Representam, assim, outra marca do autor: seu jeito de desafiar os gêneros, explorando diferentes formações discursivas.

A Globo da rua da Praia – José Otávio Bertaso

A Globo da rua da Praia – José Otávio Bertaso

A Globo Livros lança nova edição de A Globo da Rua da Praia, história da editora Globo, que inovou a indústria livreira do Brasil nos idos anos 1930 e 1940 em Porto Alegre (RS). Capitaneada pela competência de Henrique Bertaso e o gênio criativo de Erico Verissimo, a pequena editora, localizada então à Rua da Praia, na capital gaúcha, foi responsável não apenas por lançar talentos nacionais como Mario Quintana e o próprio Verissimo, mas também por trazer ao público do país nomes como Honoré de Balzac, Marcel Proust, Thomas Mann, James Joyce, Graham Greene, Somerset Maughan, John Steinbeck, Aldous Huxley, Virginia Wolf e Agatha Christie.

O Coelho e o Jabuti – Arievaldo Viana

O Coelho e o Jabuti – Arievaldo Viana

Não é possível precisar o momento em que as crianças começaram a se encantar com as fábulas, antigos relatos que trazem como personagens animais com características humanas e em geral terminam com uma lição, a moral da história. Algumas são bastante famosas e ganharam mais de uma versão, como é o caso da que conta a curiosa disputa de velocidade travada entre o ágil coelho e o calmo jabuti.
O Coelho e o Jabuti, publicado pela Globo Livros dentro da série Era uma vez em cordel não relata a conhecida prova na qual o coelho dorme e a tartaruga o ultrapassa, alcançando primeiro a linha de chegada e vencendo pela persistência e constância. Nessa divertida versão, o jabuti arquiteta um plano para derrotar o presunçoso oponente e para isso conta com a ajuda de sua numerosa e parecidíssima família…
O episódio é contado em cordel, um poema com ritmo simples que em geral se baseia em relatos conhecidos e prende a atenção do espectador tanto pela trama quanto pela cadência. Tradicional na região nordeste do Brasil, o estilo chegou à literatura infantil e ganhou cuidadosa execução pelas rimas do cordelista cearense Arievaldo Viana e pelas ilustrações do artista pernambucano Jô Oliveira.

A Capital! – Eça de Queirós

A Capital! – Eça de Queirós

Este volume da coleção Clássicos Globo traz uma nova versão de A capital!, baseada na edição crítica feita a partir de estudos comparativos de manuscritos e publicações póstumas do romance de Eça de Queirós. Na trama do livro, as ingênuas aspirações do protagonista – um estudante provinciano que sonha com a glória literária – se contrapõem à frívola vida lisboeta, compondo um retrato da sociedade portuguesa que se torna mais mordaz com a recuperação da acidez do texto original.

A Princesinha – Frances Hodgson Burnett

A Princesinha – Frances Hodgson Burnett

“Alguma coisa surgirá, se eu pensar e esperar um pouco. A Magia dir-me-á – afirmou numa voz suave e expectante.” Sara Crewe, uma aluna excecionalmente inteligente e imaginativa do Colégio de Miss Minchin, fica devastada quando o pai morre. Sem dinheiro, Sara é rebaixada, humilhada e forçada a trabalhar como criada. Mas a história não acaba aqui e o seu destino reserva-lhe a felicidade.

Tempos de Reflexão: de 1954 a 1989 – Nadine Gordimer

Tempos de Reflexão: de 1954 a 1989 – Nadine Gordimer

“Quando comecei a escrever, com nove ou dez anos, eu escrevia com o que passei a acreditar ser a única verdadeira inocência – um ato sem responsabilidade. Pois basta observar crianças muito pequenas brincando juntas para ver como o impulso de influenciar, exigir submissão, defender a primazia trai a presença do ‘pecado’ humano natal, cujo castigo é a carga da responsabilidade. Eu estava sozinha. Nem sabia como meu poema ou história saíam de dentro de mim. Não era dirigido a ninguém, nem lido por ninguém”, escreve Nadine Gordimer em Tempos de Reflexão – de 1954 a 1989, coletânea que abrange mais de 40 anos e que a Biblioteca Azul, selo da Globo Livros, está lançando em dois volumes (o segundo trará passagens dos anos 1990 e 2000).

Tempos de Reflexão: de 1990 A 2008 – Nadine Gordimer

Tempos de Reflexão: de 1990 A 2008 – Nadine Gordimer

Tempos de reflexão – de 1990 a 2008 traz textos que tratam sobre a liberdade (e a falta dela), o ressurgimento político da África com as primeiras eleições democráticas e o próprio ofício de escritora. A “caçada” a um escritor, precisamente a Salman Rushdie, e a soltura de Nelson Mandela, depois de 27 anos na prisão, são o ponto de partida de Nadine Gordimer em Tempos de reflexão – de 1990 a 2008, segundo e último volume da coletânea que abrange mais de 40 anos de carreira da escritora sul-africana e que a Biblioteca Azul lança no Brasil. Não por acaso o livro começa com o tema liberdade, ou a falta dela – assunto no qual a escritora mantém constantemente seu foco de atenção. Diz Nadine: “Salman Rushdie não tem sido visto por… quanto tempo? Ele se tornou um dos Desaparecidos, como aqueles que sumiram durante um período recente na Argentina e aqueles que desaparecem sob o apartheid na África do Sul. Os governos repressivos têm o poder de destruir vidas nos seus países; quando as religiões adotam esses métodos, elas têm o poder de aterrorizar, por meio de seus fiéis, qualquer parte do mundo. O edito do falecido aiatolá tem jurisdição por toda parte, desdenhoso das leis de qualquer país. Os refugiados políticos dos regimes repressivos podem procurar asilo político noutro lugar; Salman Rushdie não tem para onde ir”. Nadine é uma voz poderosa e arguta contra o papel do Estado, que, segundo ela, trata com pouco caso a cultura, os livros e os escritores: “[…] qual será a atitude oficial dos vários Estados africanos em relação à cultura e à literatura como expressão dessa cultura? Nós, escritores, não sabemos, e temos razão de estarmos inquietos. Sem dúvida, no século XX da luta política, o dinheiro do Estado tem sido gasto com armas, e não com livros; a literatura – na verdade, a cultura – tem sido relegada à categoria do dispensável. Quanto à capacidade de ler e escrever, desde que as pessoas saibam ler os decretos do Estado e os grafites que os desafiam, isso tem sido considerado proficiência suficiente”, escreveu.

Um Chapéu Cheio de Céu – Tiffany Dolorida #02 – Terry Pratchett

Um Chapéu Cheio de Céu – Tiffany Dolorida #02 – Terry Pratchett

Do aclamado autor da série Discworld, uma divertida e bem-humorada aventura em seu mundo fantástico.

Tiffany Dolorida, alguns anos após suas aventuras no tenebroso Reino das Fadas, deverá colocar seus talentos em bruxaria novamente à prova ao embarcar em mais uma aventura: deixar sua casa e suas terras para trás e se tornar aprendiz de uma bruxa de verdade. Mas o que ela não sabe é que uma criatura incorpórea e sagaz está lhe perseguindo, um ser ancião e incompreensível do qual nem mesmo a Madame Cera do Tempo (a maior bruxa do mundo) poderá protegê-la. Dessa vez, serão úteis as habilidades de roubos, briga e bebedeira dos Nac Mac Feegle, os Pequenos Homens Livres, ou deverá Tiffany depender única e tão somente de si?

Os pequenos homens livres – Tiffany Dolorida #01 – Terry Pratchett

Os pequenos homens livres – Tiffany Dolorida #01 – Terry Pratchett

Ambientado no Discworld, o aguardado relançamento do primeiro volume da série juvenil de Terry Pratchett no Brasil.

Um perigo oculto, saído de pesadelos, vem trazendo uma ameaça diretamente do outro lado da realidade. Armada com tão somente uma frigideira e seu bom senso, a pequena futura bruxa Tiffany Dolorida deve defender seu lar contra fadas brutais, cavaleiros sem cabeça, cães sobrenaturais e a própria Rainha das Fadas, monarca absoluta de um mundo em que realidade e pesadelo se entrelaçam. Felizmente, ela contará com uma ajuda inesperada: os Nac Mac Feegle da região, também conhecidos como os Pequenos Homens Livres, um clã de homenzinhos azuis ferozes, ladrões de ovelhas, portadores de espadas e donos de uma altura de mais ou menos quinze centímetros. Conseguirão eles salvar as terras quentes e verdejantes de Tiffany?

Salem – Stephen King

Salem – Stephen King

Ambientado na cidadezinha de Jerusalem’s Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros. Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade.
Após a chegada desses forasteiros, fatos inexplicáveis vêm perturbar a rotina provinciana de Jerusalem’s Lot: uma criança é encontrada morta; habitantes começam a desaparecer sem deixar vestígios ou sucumbem a uma estranha doença. A morte passa a envolver a pequena cidade com seu toque maléfico e Ben e Mark são obrigados a escolher o único caminho que resta aos sobreviventes da praga: fugir.
Mas isso não será tão simples, os destinos de Ben, Mark, Barlow e Jerusalem’s Lot estão agora para sempre interligados. E é chegada a hora do inevitável acerto de contas.

O BlackBerry de Hamlet: Filosofia prática para viver bem na era digital – William Powers

O BlackBerry de Hamlet: Filosofia prática para viver bem na era digital – William Powers

Computadores, celulares, tablets: maravilhas da tecnologia que nos mantêm conectados e em sintonia com tudo o que está acontecendo no planeta. Mas o que acontece quando o engajamento nas novas formas de comunicação demanda tanta atenção que nos priva do que é realmente importante? Para resolver esse impasse, é preciso um novo modo de pensar, uma filosofia prática para um cotidiano repleto de telas. Recorrendo a alguns dos pensadores mais brilhantes da história – de Platão a Thoreau, passando por Shakespeare – O BlackBerry de Hamlet demonstra que a conectividade digital só é útil se conseguirmos descolar a vida real da vida virtual.Alegre, original e instigante, O BlackBerry de Hamlet nos desafia a repensar nosso dia a dia e a retomar o controle da nossa vida.

A memória de uma amizade eterna – Gail Caldwell

A memória de uma amizade eterna – Gail Caldwell

Esta é a história de Gail e Caroline, duas amigas inseparáveis que só se desligaram fisicamente com a morte de uma delas.
Íntimas, com um passado coincidentemente perturbador – ambas foram alcoólatras –, as amigas tinham em comum a literatura – Caroline Knapp era escritora e colunista do The Boston Phoenix e Gail Caldwell, vencedora do Prêmio Pulitzer e crítica literária do The Boston Globe – e o amor por suas cadelas, Lucille e Clementine respectivamente. Logo no primeiro encontro, começaram a trocar confidências e o afeto que sentiam ficou ainda mais sólido quando conversaram sobre seus trabalhos. Lentamente, as amigas foram construindo uma troca afetiva substancial, mesmo que às vezes silenciosa.
Depois da morte da Caroline, Gail chegou à conclusão de que não teria outra amiga igual à ela. Ela confessa que demorou anos para compreender que a morte não quer dizer o ponto final de uma história. E acha que qualquer um de nós entra e sai da vida do outro não por causa da separação que a morte impõe, mas por causa da distância que se estabelece entre as duas pessoas. “Que Caroline fosse insubstituível era uma lealdade agridoce: sua morte era o que eu tinha agora.”
Segundo a revista Time, trata-se de “um livro de memórias perfeito: bonito, simples, emocionante e repleto de poderosos insights”.

A verdade por trás do Google – Alejandro Suárez Sánchez Ocaña

A verdade por trás do Google – Alejandro Suárez Sánchez Ocaña

Quais são as verdadeiras intenções do Google? E o que ele pretende fazer com todas as informações que possui a respeito das pessoas? Com essas perguntas em mente, o autor tenta descobrir o que há por trás da empresa. A partir de documentos e entrevistas com pessoas do setor e com ex-funcionários, ele analisa as práticas da empresa, sua expansão e sua relação com algumas concorrentes.

Tempo Comprado – Wolfgang Streeck

Tempo Comprado – Wolfgang Streeck

Este livro analisa a crise financeira e orçamental do capitalismo democrático dos dias de hoje à luz das teorias da crise da Escola de Frankfurt de finais dos anos 60 e inícios de 70. As teorias em que o autor se baseia constituíram tentativas de compreender as mudanças radicais que se iniciavam «então na economia política do pós-guerra como momentos do processo histórico de evolução da sociedade no seu todo, sendo que recorriam, de forma mais ou menos eclética, à tradição teórica marxista».
«() Os ensaios teóricos daqueles anos em Frankfurt revelam a inevitabilidade da associação dos conhecimentos das ciências sociais a determinado período. Apesar disso, ou precisamente por isso, é que, ao debruçarmo-nos sobre os acontecimentos atuais, é aconselhável partir das teorias da crise do capitalismo tardio dos anos 70».
As análises da crise financeira e orçamental do capitalismo atual que Wolfgang Streeck propõe tratam esta crise numa perspetiva de continuidade e como um momento da evolução geral da sociedade com início no final dos anos 60 e que descreve, a partir da perspetiva atual, como o processo de dissolução do regime do capitalismo democrático do pós-guerra.
Na tradição da economia política, «a economia da sociedade acabou por ser entendida como um sistema de ação social, portanto, não só como um sistema puramente técnico ou regido pelas leis da Natureza, constituído por interações de poder entre partes com interesses e recursos diversos».

O Sorriso de Marfim – Ross Macdonald

O Sorriso de Marfim – Ross Macdonald

No escritório do detetive particular Lew Archer, em Los Angeles, irrompe uma misteriosa mulher de rosto severo, vestindo uma estola de pele e tantos diamantes quanto consegue carregar. Recusando-se a entrar em detalhes, pede que Archer descubra o paradeiro da ex-empregada, que teria roubado joias suas. De cara ele percebe que há mentira no ar, mas a penúria em que se encontra e a sua curiosidade inata prevalecem. Em breve ele tropeçará numa série de cadáveres, prostitutas estonteantes, perigosos marginais e ricos inescrupulosos.

Eu Digo Sim – Eliza Kennedy

Eu Digo Sim – Eliza Kennedy

Lily Wilder parece levar uma vida de sonho: formada em direito e contratada por um grande escritório de advocacia, ela mora em Nova York e está prestes a se casar com o homem perfeito. Mas, conforme a data da cerimônia se aproxima, ela desconfia que será incapaz de manter-se fiel a alguém. Em Eu digo sim, a estreante Eliza Kennedy mistura humor, drama e uma pitada de erotismo para descrever os dias que antecedem o casamento e as dúvidas que tomam de assalto a protagonista. Especialmente quando Will, o noivo certinho, propõe a Lily um casamento aberto. Engraçado, na tradição de Casamento grego e Girls, Eu digo sim é uma comédia sobre mulheres reais, às voltas com tradições e costumes não muito reais.
Considerado “picante e moderno” pelo The New York Times Book Review, o romance marca a estreia da coleção Geração Ha, voltada para a mulher de 30 anos dos dias atuais, disposta a viver intensamente e que questiona seu papel tradicional na sociedade.

Playboy Portugal Abril de 2016: Raquel Loureiro (+18)

Playboy Portugal Abril de 2016: Raquel Loureiro (+18)

A famosa actriz, modelo e DJ, de 40 anos, Raquel Loureiro, posou nua (em parte) para a edição de Abril de 2016 da Playboy Portugal. Tudo bem que o ensaio poderia ser muito mais ousado tendo em conta a protagonista, mas como estamos a falar da Playboy portuguesa já se sabe! Fiquem então com as fotos e o making of desta fantástica mulher que confessa gostar de homens genuínos, divertidos, maduros… que usem cuecas e não boxers ou então que não usem nada!

Quer casar comigo? – John Updike

Quer casar comigo? – John Updike

John Updike retratou como poucos os sonhos e conflitos da classe média americana. Em Quer casar comigo?, livro que inicia o lançamento de sua obra pela Biblioteca Azul, o escritor explora a complexidade dos sentimentos e a preocupação com as convenções a partir dos desencontros de dois casais.

O ano é 1962. Jerry e Ruth, Sally e Richard são vizinhos em um subúrbio de Connecticut. Os quatro se envolvem em traições e mentiras, cedem aos seus desejos, são impulsivos, magoam e são magoados. O autor usa habilmente os diálogos para provocar questionamentos sobre o amor, o sexo, o casamento e a convivência.

Sérgio Moro: A História do Homem Por Trás da Operação Que Mudou o Brasil – Joice Hasselmann

Sérgio Moro: A História do Homem Por Trás da Operação Que Mudou o Brasil – Joice Hasselmann

Afinal, quem é Sérgio Moro? Teria ele motivações para agir com justiça diante de políticos? Como ele consegue manter a serenidade diante dos ataques sofridos? Ele pensou em desistir? Como será o Brasil depois de sua atuação? Será que ele pretende limpar toda a corrupção do Brasil? Sérgio Moro – A história do homem por trás da operação que mudou o Brasil é um mergulho no caso conhecido como o maior escândalo de corrupção do país. Aqui, a autora imerge no passado e na trajetória do juiz de primeira instância que atuou contra famosos casos de corrupção até liderar a investigação da Operação Lava Jato com o Ministério Público e a Polícia Federal. O leitor conhecerá também o caso do Banestado, remetente ao final da era Fernando Henrique Cardoso, e do Mensalão, duas investigações de grande importância que contaram com o trabalho de Moro. A ideia deste livro é entender o “fenômeno Moro” e, por meio de conexões, será possível conhecer a carreira do magistrado que está mudando o país. Para além do espírito verde-e-amarelo dos protestos, mostraremos quem é o homem por trás do mito. Percorra essas páginas e compreenda a grande personalidade na busca pela verdade sobre a Operação Lava Jato. Descubra o que a República do Paraná fez pelo restante do país. E viva o combate à corrupção!

Armadilha – Melanie Raabe

Armadilha – Melanie Raabe

Linda, uma escritora best-seller, vive reclusa em sua casa à beira de um lago desde o assassinato de sua irmã mais nova há doze anos. O assassino nunca foi pego, mas Linda o viu de relance, e agora ela acaba de reconhecer seu rosto na TV. Ele é Victor, um brilhante jornalista. Pensando numa saída para pegá-lo, ela escreve um best-seller baseado no assassinato da irmã e concorda em conceder uma única entrevista à imprensa, em sua casa, para Victor. A partir daí tem início um embate perturbador. Cheio de reviravoltas, tensão e terror psicológico.

Uma noite com Audrey Hepburn – Lucy Holliday

Uma noite com Audrey Hepburn – Lucy Holliday

A atriz Libby Lomax encontrou seu refúgio no mundo dos filmes clássicos, nos quais as deusas imortais favoritas da tela parecem oferecer muito mais romance do que a ida real. Depois de um dia terrível no set de filmagens, onde ela passou a maior vergonha de todos os tempos na frente do elenco inteiro e, pior, do astro sexy e notório bad boy Dillon O’Hara, tudo o que Libby consegue fazer é se jogar no sofá e assistir a Bonequinha de luxo pela milionésima vez. De repente, ela se surpreende ao ver a estrela do cinema, Audrey Hepburn, sentada bem ao seu lado, em seu vestidinho preto, clássicos óculos escuros e cigarrilha vintage, cheia de conselhos para dar. Mas será que Libby realmente é capaz de transformar sua vida de fracasso em um incrível blockbuster? Talvez, com um pouquinho da ajuda mágica de Audrey, ela até consiga.

O último império: os últimos dias da União Soviética – Serhii Plokhy

O último império: os últimos dias da União Soviética – Serhii Plokhy

No Natal de 1991, o presidente norte-americano George H. W. Bush discursou para a nação a fim de declarar a vitória dos Estados Unidos na Guerra Fria. No mesmo dia, Mikhail Gorbatchov havia renunciado a seu posto de primeiro e último presidente soviético. A consagração dessa narrativa, em que o fim da Guerra Fria estava ligado à desintegração da União Soviética e ao triunfo dos valores capitalistas sobre o comunismo, protagonizou a opinião pública norte-americana e persiste desde então, com consequências desastrosas para a situação dos Estados Unidos no mundo. O premiado historiador Serhii Plokhy revela neste livro que o colapso da União Soviética foi tudo menos obra dos Estados Unidos. Valendo-se de documentos recém-revelados e de entrevistas originais com os principais envolvidos, Plokhy apresenta uma interpretação nova e ousada dos últimos meses da União Soviética e argumenta que a chave do colapso foi a incapacidade de as duas maiores repúblicas soviéticas, a Rússia e a Ucrânia, concordarem quanto à continuidade da existência de um Estado unificado. Ao atribuir o colapso soviético ao impacto das ações norte-americanas, os dirigentes políticos estadunidenses superestimaram sua capacidade de derrubar e reconstruir regimes estrangeiros. O papel decisivo dos Estados Unidos no desaparecimento da União Soviética não só é um mito como uma crença descabida que tem orientado – e perseguido – a política externa norte-americana desde então.

Um passado sombrio – Peter Straub

Um passado sombrio – Peter Straub

O inigualável mestre do horror e do suspense retorna com um livro poderoso e aterrorizante que redefine o gênero de maneira única e inesperada

Em 1966, um carismático e astuto guru, de passagem por um campus universitário do Meio-Oeste norte-americano, reúne um restrito grupo de discípulos, entre estudantes de colegial e universitário de fraternidade, num ritual secreto que resulta em um corpo horrivelmente dilacerado, um garoto desaparecido e as almas abaladas de todos os envolvidos.
Quarenta anos depois, um escritor de relativo sucesso e amigo de infância da maioria dos garotos que participaram do ritual – além de marido de uma das garotas envolvidas –, sai em busca de informações sobre essa noite aterrorizante, com um projeto de livro em mente. Porém, para consegui-las, precisará não apenas reencontrar antigos colegas com quem perdeu o contato há décadas, mas também incitá-los a reexaminarem os eventos inomináveis que os têm assombrado desde então.
Ao revelar as histórias individuais dos membros do grupo, Um Passado Sombrio eletrifica o leitor de maneira arrepiante e imprevisível – e prova que Peter Straub é, indiscutivelmente, um mestre do horror moderno.

Sobre Formigas e Cigarras – Antônio Palocci

Sobre Formigas e Cigarras – Antônio Palocci

Antônio Palocci não tinha qualquer experiência na área econômica ou no executivo federal quando foi convidado pelo recém-eleito presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assumir o Ministério da Fazenda. A posse do primeiro trabalhador a conquistar o Palácio do Planalto era esperada com ansiedade pelos agentes econômicos. No dia da chegada de Lula a Brasília para assumir a presidência, o dólar estava cotado a 3,52 reais, a inflação a 12,53%, o risco-país a 1.435 e, em pleno curso, uma fuga de capitais e investimentos. Este livro revela os bastidores da definição da política econômica do primeiro governo do PT e do esforço para recuperar a credibilidade nacional e internacional. Relata também as disputas no centro do próprio governo, a relação com o presidente Lula e as delicadas negociações com a banca internacional e o FMI. A história daquele que foi, para muitos, um sucesso surpreendente. O primeiro ministro da Fazenda petista que, apesar de inexperiente e pressionado pela crise de credibilidade, conquistou a confiança dos brasileiros com seu jeito tranqüilo e conseguiu implementar medidas que levaram à queda da inflação, ao crescimento recorde das exportações e ao aumento do consumo. Antônio Palocci não se exime do relato da crise que o levou, depois de se tornar o ministro mais popular do governo, a pedir demissão do cargo após meses de desgaste, dando a sua história um desenlace tão surpreendente quanto o início dela: “A maior lição que aprendi neste episódio foi que a política., essa senhora caprichosa e matreira, às vezes cobra um preço alto demais”, desabafa o autor.

A Bruxa de Near – Victoria Schwab

A Bruxa de Near – Victoria Schwab

Na cidade de Near não existem estranhos e a velha história da Bruxa é contada apenas para assustar as crianças. Estas são as verdades que Lexi Harris ouviu durante toda a vida.
Mas quando um estranho, um garoto que parece desaparecer como fumaça, surge em uma noite do lado de fora de sua casa, ela sabe que algo não está correto.
Na noite seguinte, crianças começam a desaparecer de suas camas sem deixar qualquer vestígio e o estranho é o principal suspeito. Mas quando o garoto se oferece para ajudar na busca, algo no coração de Lexi diz que ele esconde outros segredos e não é o culpado.
Ela estaria imaginando ou o vento parecia sussurrar através das paredes? Quando a busca pelas crianças se intensifica, o mesmo acontece com a necessidade de Lexi de saber sobre a Bruxa que talvez não seja só uma história para dormir…

Magisterium #02:  Luva de Cobre – Holly Black, Cassandra Clare

Magisterium #02: Luva de Cobre – Holly Black, Cassandra Clare

Nesta fantasia urbana, um universo de magia coexiste com nosso mundo.
Um universo repleto de intrigas, onde crianças aprimoram seus poderes em uma escola de magia chamada Magisterium, com Mestres que temem a volta do mago mais poderoso, e ambicioso, de todos os tempos, o Inimigo da Morte. Nesse volume, o aprendiz de mago Callum Hunt precisa encontrar uma antiga arma mágica roubada do Magisterium. A luva de cobre é capaz de arrancar a magia de uma pessoa e destruí-la completamente. Ao mesmo tempo, ele tem de decidir se conta aos amigos que, dentro dele, vive a alma do Inimigo da Morte, apenas à espera do momento perfeito para retomar sua escalada pelo poder.

Legado – Silo #03 – Hugh Howey

Legado – Silo #03 – Hugh Howey

SILO apresentou o abrigo e seus habitantes. ORDEM contou a história de sua formação.
LEGADO relata sua ruína.

A batalha pelo Silo já foi vencida. A guerra pela humanidade só está começando. É um tempo em que, para sobreviver, os humanos precisam se manter em cidades subterrâneas, aprisionados, sem ligação com o mundo lá fora. Esse é o universo de Silo, a série de ficção científica e fantasia escrita por Hugh Howey.

O papai é pop 2 – Marcos Piangers

O papai é pop 2 – Marcos Piangers

O papai é pop está de volta! Marcos Piangers vai colocar você no banco de trás do carro, ao lado das filhas Anita e Aurora, para contar novas histórias – algumas comoventes, algumas divertidas e outras talvez um pouco nojentas – sobre essa coisa absolutamente comum e extraordinária que é ter um filho. Um sentimento que não se pode explicar, não se pode entender. Só se pode viver. Porque você não vai ter um filho para obter vantagens, descontos, deduções do imposto de renda ou balões de graça sempre que for ao shopping. Um filho vai esgotar suas economias e minguar suas noites de sono. Vai sujar suas camisas novas e desenhar em suas paredes. Você vai ter um filho, na verdade, por um único motivo: para aprender a amar outra pessoa mais do que a você mesmo.

Um novo jeito de trabalhar – Laszlo Bock

Um novo jeito de trabalhar – Laszlo Bock

O líder visionário realizou uma grande investigação sobre como a filosofia certa de trabalho é capaz de atrair os maiores talentos para o seu negócio e garantir que eles se desenvolvam, sejam felizes e tenham sucesso.

Um novo jeito de trabalhar apresenta os bastidores da gigante do Vale do Silício, compartilhando detalhes sobre os processos de recrutamento e seleção, a importância da cultura e as ferramentas de gestão e avaliação de pessoas. Também revela por que o Google é eleito ano após ano um dos melhores lugares para se trabalhar.

Página 1 de 31212345...102030...Última »