cover (308 x 462)

O Presidente Negro – Monteiro Lobato

Em seu primeiro romance para adultos, Monteiro Lobato aborda temas polêmicos como a segregação entre brancos e negros e a guerra dos sexos. Ainda prevê a futura hegemonia asiática em uma época em que a China, o gigante industrial do terceiro milênio não passava de um país quase feudal e totalmente dilacerado.

Neste livro também aparece o Teatro Onírico, que fixa os sonhos na tela de cinema, desmistificando as teorias freudianas ao transformar os fluxos do inconsciente em entretenimento de massa.

Ele intuiu também os experimentos científicos semelhantes aos clones atuais, em que seres humanos criados pela Corporação Psíquica de Detroit desdobravam-se, multiplicando os cinco sentidos.

Após o período em que viveu nos EUA, Monteiro Lobato afirmou que a América retratada neste livro estava de acordo com o que encontrara.

 

9 thoughts on “O Presidente Negro – Monteiro Lobato

  1. Não é a questão do racismo – Lobato era tão racista quanto a sociedade onde viveu – mas o problema aqui é que este livro é ruim – simples assim. Não está a altura do resto da obra de Lobato, que eu amo de paixão, devo meu interesse pelos livros inteiramente às leituras de Lobato na infância. A acusação de racismo contra Lobato é absurda, mas o problema deste livro é outro: ele simplesmente não funciona.

  2. Fiquei curioso! Principalmente depois das acusações de "conteúdo racista e sexista" de outras obras dele.

  3. Sinopse – O Presidente Negro – Monteiro Lobato

    Em seu primeiro romance para adultos, Monteiro Lobato aborda temas polêmicos como a segregação entre brancos e negros e a guerra dos sexos. Ainda prevê a futura hegemonia asiática em uma época em que a China, o gigante industrial do terceiro milênio não passava de um país quase feudal e totalmente dilacerado.

    Neste livro também aparece o Teatro Onírico, que fixa os sonhos na tela de cinema, desmistificando as teorias freudianas ao transformar os fluxos do inconsciente em entretenimento de massa.

    Ele intuiu também os experimentos científicos semelhantes aos clones atuais, em que seres humanos criados pela Corporação Psíquica de Detroit desdobravam-se, multiplicando os cinco sentidos.

    Após o período em que viveu nos EUA, Monteiro Lobato afirmou que a América retratada neste livro estava de acordo com o que encontrara.

  4. Monteiro Lobato, autor genial. Este livro é ótimo. Inspirado nos ficcionistas europeus, principalmente Wells (citado no livro), é uma leitura muito boa mas é racista — como o autor foi.

    Dizem que este livro foi escrito em 3 semanas. Seria seu cartão de visita nos Estados Unidos. Lobato era fã do American Way of Life.

    Vejo muita gente "informada" dizendo que suas obras serão censurada. Onde isso? No mínimo é má fé de quem espalha um BOATO desses. É importante que sua obra seja conhecida. O Brasil deve aceitar que não vive numa "democracia racial" (isso é uma conversa longa).

    Vale a pena ser lido. Tem muita gente que ataca ou defende a obra sem nunca ter lido. Vamos ler (o cara sabia escrever mesmo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *